História

A HISTÓRIA DO MOVIMENTO ESTUDANTIL ALFA E ÔMEGA

Para falarmos do Alfa e Ômega precisamos contar a história da Cruzada Estudantil e Profissional para Cristo (CEPC). O Alfa e Ômega é parte de uma família de mais de 40 ministérios da CEPC, cuja sede internacional está localizada em Orlando, Flórida, EUA. Dr. Bill Bright fundou o ministério em 1951 na Universidade da Califórnia (UCLA), chamado internacionalmente de Campus Crusade for Christ. A CEPC tem hoje 27.000 missionários de tempo integral e mais de 225.000 voluntários e associados servindo ao redor do mundo, nos campi ou em ministérios na comunidade em mais de 192 países. O objetivo do ministério de campus é ajudar a alcançar os 60 milhões de estudantes do mundo com a mensagem do evangelho. Para saber mais sobre a Cruzada Estudantil e Profissional para Cristo visite www.cepc.org.br e www.ccci.org.

 

HISTÓRIA DA CEPC

A Cruzada Estudantil e Profissional para Cristo foi fundada por Bill e Vonette Bright na Universidade da Califórnia (UCLA) em 1951. Aproximadamente um ano depois, Bill Bright escreveu As Quatro Leis Espirituais – o folheto religioso mais amplamente distribuído na história, com aproximadamente 2,5 milhões de exemplares impressos até hoje.

Em 1960, a Cruzada Estudantil e Profissional para Cristo estava estabelecida em 40 campi nos Estados Unidos e em outros dois países. Durante este ano, o ministério começou a promover congressos e projetos missionários.

Em 1983, um evento grande chamado KC’83 aconteceu em Kansas City e atraiu 17.000 estudantes universitários. Quase uma década depois, em 1991, a Cruzada deslocou sua sede da Califórnia para Orlando, Flórida.

Em 2000, a CEPC já contava com mais de 24.000 missionários de tempo integral e mais de 500.000 voluntários treinados, servindo em 191 países.

Em 2001, o fundador Bill Bright passou a liderança para o novo presidente Steve Douglass, anteriormente vice-presidente executivo e diretor dos Ministérios dos EUA.

 

AQUI NO BRASIL…

A CEPC chegou em 1970, através do Pr. Samuel Simões Filho (Pr. Neco). O trabalho inicialmente se caracterizou pelo treinamento de evangelismo e discipulado para igrejas. Nesta mesma época O Folheto das Quatro Leis Espirituais começou a ser impresso no Brasil.

Em 1972, Pr. Neco e Walter Cullen iniciaram o MSI (Ministério de Serviço às Igrejas), visitando várias cidades brasileiras e treinando voluntários para atuar nas igrejas.

Recebemos a visita do Dr. Bill Bright, em 1974, que desafiou vários brasileiros a serem missionários da organização, entre eles Bira e Rosali Martins, que, hoje, trabalham com Atletas, e Bartimeu Vaz de Almeida, que viria a ser o Diretor Nacional em 1978.

Com a chegada de alguns missionários mexicanos, tentou-se iniciar o ministério universitário aqui no Brasil no final da década de 70, mas, somente anos depois, em 1987, o Alfa e Ômega começou com uma equipe de obreiros designados para trabalhar na USP. Parte dessa equipe mudou-se para Campinas (SP) em 1991 para trabalhar na Unicamp.

O primeiro congresso Alfa e Ômega, chamado Setrel (Seminário de Treinamento de Líderes), aconteceu em 1992, em Campinas.

O ministério em Niterói (RJ) iniciou-se em 1993, com uma equipe de estudantes e missionários da Unicamp que fizeram um projeto de uma semana na UFF (Universidade Federal Fluminense). No ano seguinte, um casal de missionários se estabeleceu naquela cidade.

Missionários canadenses visitaram Belém, São Luís e Fortaleza em 1995, recrutando estudantes para trabalharem como voluntários nessas cidades. Iniciou-se, assim, o movimento no Norte e Nordeste. Nessa época foi criado o ELO, ministério que assessora estudantes líderes em cidades onde não há missionários, para apoiar esses movimentos recém-criados.

A equipe da Unicamp mudou-se para o Rio de Janeiro em 1997, iniciando o movimento na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Em 1998 aconteceu o primeiro Projeto Internacional, em Cabo Verde, na África. Em 2001, foi a vez da Europa, em Portugal, e da África, em Moçambique, ajudando a iniciar o movimento naqueles lugares.

Em 1998 também começou a parceria com os EUA em Fortaleza, através de um projeto de verão na cidade. No ano seguinte, a primeira equipe de missionários americanos se estabeleceu em Fortaleza. No ano de 2000, aconteceu o primeiro congresso, antigo Setrel, norte e nordeste nessa cidade. Desde aquele ano, dois congressos são realizados anualmente para atender os estudantes das cinco regiões do país.

Ainda em 2000 o movimento em São Luís e Belém se desenvolvia através do ministério Elo. Em 2001, por meio da iniciativa de estudantes voluntários, ligados a Belém e depois assessorados pelo Elo, começou o ministério em Palmas, Tocantins.

O primeiro Projeto Nacional nos moldes atuais aconteceu em 2003, em Maceió, na UFAL (Universidade Federal de Alagoas). O Movimento foi iniciado naquela cidade através desse projeto.

Em 2004, fomos para Salvador iniciar um movimento na UFBA (Universidade Federal da Bahia). Em 2005, repetimos a dose em Salvador. Mas esse ano também foi histórico, pois fizemos mais dois Projetos Nacionais simultaneamente, um em Brasília, iniciando o movimento na UNB, e outro em Natal, iniciando na UFRN (Universidade Federal de Rio Grande do Norte).

Em 2005, voltamos a Portugal para ajudar o movimento que foi criado em 2001 e agora é liderado por europeus. A parceria com Moçambique se fortaleceu a ponto de enviarmos um projeto para lá a cada ano, de 2001 até 2006. O movimento na Universidade Eduardo Mondlane tem sido liderado por estudantes africanos e o Brasil tem o desejo de enviar missionários brasileiros nos próximos anos.

Em 2006, foi a vez de Curitiba, onde fizemos um projeto na comunidade e não na universidade. Ocorreu simultaneamente o Projeto Recife, a fim de iniciar o movimento na UFPE (Universidade Federal de Pernambuco). A resposta foi tão boa que voltamos para Recife, em 2007. Nesse mesmo ano, começamos um novo movimento em Juiz de Fora, na UFJF e Cuiabá, na UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso). Também tivemos o Projeto Belém, em 2007, a fim de consolidar o movimento já existente naquela cidade.